Buscar
  • Simone Fuzaro

Adaptação Escolar

A vida é uma sucessão de experiências, vivências e emoções que exigem a cada momento uma (re)adaptação.


O (re)início da vida escolar é para alguns a primeira experiência para além do convívio familiar. O primeiro passo em direção a um ambiente novo, rotina nova, com pessoas diferentes. Para outros, que já frequentaram a escola, é um recomeço. Momento de resgatar vínculos, rever colegas, conhecer outros, conhecer um novo grupo e nova rotina.

É fácil imaginarmos o quanto a (re) adaptação é desgastante especialmente para os pequenos que tem ainda uma gama de experiências e um funcionamento simbólico restritos e, portanto, necessitam de suporte, paciência e um ambiente acolhedor para passarem por essa experiência de modo positivo.

Fundamental, porém, é a postura da família. Confiar na escola e na capacidade da criança de se adaptar, de "sobreviver" à ausência da mãe e de crescer com essa experiência é determinante para uma boa adaptação. Crianças choram diante do novo e isso é natural e esperado. O problema é como nós, adultos, reagimos ao choro da criança - precisamos ser otimistas, positivos e confiantes sem nos deixarmos abater pela fragilidade natural dos pequenos. Nós mostraremos a eles com nossas atitudes, que são capazes de sobreviver à escola e, em pouco tempo, gostar muito dela!


Dicas para uma adaptação mais tranquila:

  • Confiança é essencial. Caso ainda haja alguma dúvida ou receio em relação a escola busque esclarecimentos. Quanto mais seguros estiverem mais segurança transmitirão à criança.

  • Nada de culpa e choradeira - estar na escola é importante para a criança. Que segurança ela terá se a mamãe estiver chorando ou com os olhos marejados?

  • Explicações excessivas à criança a respeito dessa nova vivência podem gerar ansiedade; fale o básico e deixe que ela faça suas descobertas sobre a escola.

  • Siga as orientações da escola para o período de adaptação. Lembre-se - eles são profissionais no assunto e sabem o que estão orientando.

  • Na hora de entregar a criança ao professor faça-o com determinação - sem grandes despedidas e "declarações de amor". A criança sabe que é amada e devemos tratar com naturalidade essa nova rotina.

  • Não deem asas à imaginação - às vezes, após alguns dias sem chorar, a criança passa a apresentar resistência para entrar na escola. Essa atitude é muito comum pois as novidades iniciais já foram exploradas e as crianças acabam sentindo um pouco mais sua separação em relação aos pais e também tomam contato com as regras de convívio e com a rotina que nem sempre lhe são tão agradáveis. É comum nesse momento os pais se assustarem achando que algo de ruim aconteceu na escola.

  • Durante a adaptação a criança poderá apresentar alguns comportamentos que indiquem regressão: voltar a fazer xixi na calça, pedir mamadeira, apresentar sono agitado... não se assuste. Faz parte do processo de adaptação e, normalmente desaparecem com o tempo. Acompanhe essas reações, sem dar excessiva importância a elas.


Encarem com otimismo e coragem essa etapa nova e importante na vida das crianças. Todo o turbilhão passará, as coisas irão bem e sobrarão muitas histórias para contar!


0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo